Sob águas indecisas

Hoje quando vinha para casa começou a cair uma chuva que parecia indecisa entre a possibilidade de uma tempestade ou uma simples garoa

Então comecei a pensar na água que batia no para-brisa do carro e no que me impelia para casa

O problema foi que assim como a chuva não fazia a escolha entre sua força ou delicadeza

eu não tinha motivo para entrar em casa

pois eu sabia que quando entrasse não haveria nada lá

não haveria nada aqui onde estou

O motivo de eu voltar para casa está longe

longe

E eu queria que as gotas a trouxessem para mim ou ao menos que fizesse os dias passarem

com a força do vento

com a gravidade inevitável

com toda a impossibilidade da natureza

Eu quero que o dia passe para que novamente o tempo traga a única razão para que tudo haja

e que depois o tempo nunca acabe

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: