Arquivo para junho, 2015

tudo em seu lugar

Posted in Poemas on 28/06/2015 by Geraldo Maciel

ainda chego em casa

e ao girar a chave

espero abrir a porta e saber

que teus passos novamente marcaram nosso chão

que tuas pequenas coisas voltaram a se multiplicar

que teus sons e teus silêncios mais intensos voltaram a preencher o vazio dos dias

.

ainda chego em casa

e quero deixar o dia lá fora

e me perder em nossos braços

que são nossos e não do mundo

que se desviam e se encontram a cada segundo

que jamais se esqueceriam de nós em tempo algum

.

ainda chego em casa

e espero ver teus olhos castanhos

preenchendo de lava o frio dos invernos

que um dia prometemos que seriam nossos

que foram nossos ao unir-se nosso sangue

que se acalentaram e esqueceram-se de si

.

ainda chego em casa

e quero ver

tudo em seu lugar.

quando as sombras chegam

Posted in Poemas on 08/06/2015 by Geraldo Maciel

quando as sombras chegam e levam

longe gritos que sabemos nos pertencer

esperamos que um grito outro surja no ar

e que esse grito retome outro dado antes

ganhe uma forma sólida e visível

e nos ensine novamente nossa própria voz

para que possamos nos dar as mãos

e dizer um ao outro que caminho tomar

para novamente termos nossos olhos dentro de nós

e que eu não te fira

nem te doa com a aspereza de minhas mãos

e que eu não te arda

nem te chova com a rudeza de minhas gotas

e que nossos dedos

nem nossas palmas se possam desenlaçar

e antes que te leves

levemo-nos em nosso leve relampejo